Com habilidades variadas e ocupando cargos estratégicos, elas contribuem para que esta importante tecnologia se difunda por todas as regiões

A participação feminina no agronegócio vem crescendo e ganhando cada vez mais destaque. As mulheres representam 42% do setor, com crescimento significativo nos cargos de liderança, segundo o IBGE. Justamente com essa força de trabalho que a venda de silos-bolsas no Brasil se impulsionou. Encabeçado por gestoras mulheres, o crescimento na comercialização se deu pela união de estratégia e sensibilidade.

A Silox, fabricante de silos-bolsas do grupo Nortène, apostou na força de trabalho feminina e colheu ótimos resultados. Segundo Dayana Caroba, Gestora Comercial da Silox, a empresa acredita no empoderamento das mulheres no agro, e a decisão de colocar as trabalhadoras na linha de frente tem conversado com o mercado. “Estamos acostumadas a fazer diversas tarefas ao mesmo tempo, dar atenção a mais de uma demanda, como fazemos na nossa vida pessoal. Sinto que clientes atendidos por mulheres se sentem mais seguros”, opina.

Dayana afirma que 12 mulheres trabalham na empresa em cargos como gestão, coordenação, atendimento ao cliente, vendas, comércio exterior e marketing. Caroba acredita que não seja novidade a força de trabalho feminina no agronegócio, mas que hoje mulheres têm conquistado mais espaço. “Estou no segmento há mais de 11 anos. No início da minha carreira, sentia surpresa do consumidor quando descobria que a negociação seria 100% conduzida por uma mulher”, diz.

Ela pontua que nos últimos 5 anos não há mais o mesmo estranhamento, a até mesmo acredita que alguns consumidores passaram a preferir o atendimento feito por mulheres. “Somos mais detalhistas, atenciosas não somente com a negociação, mas também em todo o processo, hoje nós temos a mesma voz”, frisa.

Dayana afirma ainda que 90% da área comercial do grupo Nortène tem gestão feminina, e a empresa está sempre antenada ao mercado, buscando inovação constante. “A Nortène, que hoje é líder de mercado em suas linhas, incentiva nossa presença no campo e dá todo suporte para isso. Entendemos que ver de perto as necessidades do produtor, e a performance do nosso produto aplicado no campo, traz sempre oportunidades e segurança ao cliente”, diz.

Silos-bolsas

O resultado em vendas é perceptível, de acordo com a Caroba. “Tivemos alta aprovação de nosso produto pelo mercado. A Silox é do Grupo Nortène, com mais de 40 anos de experiência, isso permitiu colocarmos uma bolsa no mercado que superou as expectativas do produtor”, diz. Um dos fatores que alavancaram as vendas é a alta produção de grãos, aliado ao déficit de armazenamento e dificuldade de transporte. “Cada vez mais a Silox se coloca como excelente solução para o produtor”, diz.

Os silos-bolsas da Silox são utilizáveis para armazenamento de grãos secos, úmidos e silagens, atendendo aos cultivos de milho, soja, arroz, feijão, girassol, caroço de algodão, pasto e capim. Para 2021 a empresa busca manter a excelência em atendimento e qualidade como sua principal diretriz. “Junto com isso, queremos avançar no Centro-oeste e MATOPIBA, buscando um crescimento de 30% nas vendas, chegando a 35 mil bolsas em 2021. Sempre com foco em distribuidores, cooperativas, tradings e grandes produtores de grãos”, conclui Dayana.

Fonte: Ação Estratégica Comunicação
Matéria: https://www.sucessonocampo.com.br/noticias/mulheres-impulsionam-comercializacao-de-silos-bolsas-no-brasil/