aquicultura não envolve apenas a criação de espécies diversas em meio aquático. É preciso pensar em várias condições, bem como tomar decisões específicas para maximizar a sua efetividade.

Na piscicultura, por exemplo, o desenvolvimento dos peixes está atrelado a certas qualidades. Se os parâmetros não forem definidos corretamente, o alcance de performance pode não se tornar possível.

É por isso que é tão importante conhecer as características de uma aquicultura efetiva. A seguir, veja quais são 4 pontos essenciais e saiba aplicar na sua piscicultura!

1. A seleção adequada de espécies é o melhor ponto de partida

Pensando em efetividade e máximo aproveitamento, é necessário considerar que as espécies precisam ser selecionadas corretamente. Afinal, dependendo das características do ambiente ou das técnicas utilizadas, a piscicultura de certos tipos faz mais sentido.

Também há uma consideração quanto à viabilidade e à rentabilidade da aquicultura. Assim, pode-se garantir uma atuação muito mais consistente e que permite alcançar os objetivos estabelecidos.

2. A estrutura dos tanques é essencial para os resultados

Os tanques são partes cruciais para o desenvolvimento da piscicultura de qualidade. É fundamental que eles tenham as características certas para favorecer o crescimento das espécies, evitar desperdício de água e consolidar a segurança no processo.

Isso envolve diversas escolhas, como a seleção do tanque escavado como solução ideal. Para que tudo seja bem-sucedido, há uma consideração sobre topografia, tipo de solo e até qual será o revestimento. 

A escolha de uma geomembrana de qualidade, por exemplo, garante estanqueidade e evita desperdícios. Como consequência, é possível obter o desempenho esperado para a tarefa.

Inclusive, a definição sobre a área de criação é o elemento mais relevante para atingir o sucesso. Sem as configurações adequadas ou com materiais de pouca qualidade, os esforços não geram a performance estabelecida como objetivo.

3. O monitoramento também faz parte da aquicultura

Para que tudo tenha sido alcançado conforme o desejado, a piscicultura de qualidade depende do monitoramento. É por meio desse processo que é viável conhecer a qualidade da água e identificar a necessidade de intervenção.

Ela ainda envolve o acompanhamento do desenvolvimento, da reprodução, da alimentação e da disponibilidade geral de condições. Tudo isso é essencial para gerar informações relevantes e, assim, permitir uma tomada de decisão efetiva.

4. As técnicas de manejo corretas interferem na piscicultura

Para que a aquicultura seja bem-sucedida, também é preciso considerar as alternativas em relação ao manejo. Basicamente, isso envolve definir quais serão as técnicas utilizadas para cuidar das diversas etapas de desenvolvimento e criação de peixes.

O manejo na piscicultura pode envolver, por exemplo, as técnicas de reprodução, os métodos de alimentação ou a criação de condições específicas. Há, ainda, considerações sobre fatores de várias ordens, como os biológicos, para entender como maximizar o desempenho.

aquicultura efetiva, destacadamente em relação à piscicultura, exige que algumas características sejam colocadas em prática. Com a atuação correta, é possível atingir os objetivos de produção e explorar as oportunidades de mercado. 

Para ter mais dicas em relação a esse tipo de criação, curta a nossa página no Facebook e nos siga no Instagram!

 

 

 

 

Open chat
Posso te ajudar? | ¿Puedo ayudarte?